quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Wagner Moura se torna embaixador da ONU contra a escravidão moderna

21 milhões de mulheres, crianças e homens em todo o mundo são vítimas da escravidão moderna.

Wagner Moura foi nomeado, nesta quarta-feira, embaixador da Organização Internacional do Trabalho, OIT, contra o trabalho escravo. O ator foi selecionado para fazer uma parte de uma campanha global a respeito do tema, intitulada "50 for Freedom", que tem como objetivo denunciar as mais diversas formas modernas de escravidão em todo o mundo.
Esta não será a primeira vez que o ator é convidado a participar de uma campanha da organização. Em 2013, Moura participou da campanha Cartão Vermelho, que tinha como objetivo denunciar o trabalho infantil.



Segundo dados da OIT, na América Latina existem 1,8 milhão de pessoas vítimas do trabalho forçado. Em junho de 2014, a Conferência Internacional do Trabalho votou com uma enorme maioria a adoção de um novo instrumento internacional, o Protocolo à Convenção sobre o Trabalho Forçado de 1930.
50 for Freedom 
A campanha tem como objetivo estimular a conscientização sobre o trabalho forçado e mobilizar o apoio do público para conseguir com que, pelo menos, 50 países se comprometam com o Protocolo até 2018.
A campanha foi lançada pelo Prêmio Nobel da Paz de 2014, Kailash Satyarthi, e pelo Diretor-Geral da OIT, Guy Ryder, durante um evento no Conselho de Direitos Humanos, na sede da ONU, em Genebra, na Suíca.