terça-feira, 26 de novembro de 2013

Hamlet volta à cena

Wagner Moura conversa com Aderbal Freire-Filho sobre art.

Aderbal e Wagner Moura conversam processo criação, teatro e arte

Neste episódio do Arte do Artista, após superar o atordoamento inicial, com a sua primeira investida como apresentador de televisão, Aderbal Freire-Filho pretende fazer sua estreia como entrevistador, mas olha em volta e não encontra entrevistados. Decide, então, começar sua nova carreira entrevistando nada menos do que uma peça do próprio cenário.

É quando surge, magicamente, o ator Wagner Moura e os dois começam uma conversa sobre teatro, na qual Aderbal busca novas formas de fazer velhas perguntas, como “O que é melhor: matar com escopeta no cinema ou morrer com espada envenenada no teatro?”. Uma conversa entre artistas que criaram juntos no palco uma peça e um personagem ilimitados: Hamlet. Entre lembranças, reflexões e revelações, Wagner Moura fala do seu processo de criação, da sua devoção aos atores, do tipo de teatro que mais admira, de ensaios, espetáculos, etc.

“O ator é soberano no teatro. Depois do terceiro sinal ele é um sacerdote que comanda um ritual metafísico. Ele comanda uma missa com as pessoas que estão lá a cada dia e que só quem está lá naquele palco sabe o que é”, reflete Wagner, que ainda sobe ao pedaço de cenário de Hamlet que está no estúdio e, emocionado com sua volta ao mundo que habitou, vira o príncipe da Dinamarca e relembra algumas falas do personagem.

No final do programa, a estreia do quadro Arte do Artista... Fulano, no qual sempre será destacado um artista e outro artista falará dele. Nesta edição, João Saldanha apresenta a coreógrafa Angel Vianna.

Fonte: TV Brasil