quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Serra Pelada

Filme com Wagner Moura e Sophie Charlotte entusiasma o público no encerramento do Festival do Rio.

Com Wagner Moura, Sophie Charlotte, Juliano Cazarré, Matheus Nachtergaele e Júlio Andrade no elenco, “Serra Pelada” teve sua première em sessão de gala que encerrou o Festival do Rio e não decepcionou: arrancou longos e entusiasmados aplausos dos convidados que compareceram ao Cinépolis Lagoon, no Rio de Janeiro.

“Estou superanimado com essa boa recepção que o filme teve. Foi muito difícil de fazer, pois é extremamente complexo. Quase impossível de ser feito. Tivemos muito trabalho. Nunca pensei que fosse passar pelas situações que passei ao rodá-lo. Mas chegamos a um resultado que me deixou muito feliz. Para mim, essa foi a primeira recompensa, afinal, nem sempre conseguimos chegar onde queríamos. E, agora, estou vendo que ele tem uma ressonância grande nas pessoas, que estão vendo a mesma coisa que eu e sentindo do mesmo jeito. Não é sempre que acontece nessa proporção. Isso torna esse momento muito gostoso, especial mesmo”, comemorou o diretor Heitor Dhalia (“O Cheiro do Ralo” e “À Deriva”).

Entre os convidados presentes estiveram os atores Marco Pigossi, Mariana Ximenes, Maria Flor, Paulo Vilhena, Thaila Ayala e Fernanda Machado, entre profissionais tarimbados da indústria cinematográfica brasileira.

O longa, que chega aos cinemas no dia 18 de outubro, narra a história dos amigos Juliano (Juliano Cazarré) e Joaquim (Júlio Andrade), que partem de São Paulo para Serra Pelada, no sul do Pará, onde esperam encontrar ouro no garimpo e enriquecer. A ganância e o ambiente caótico provocado pela chegada de milhares de homens ao lugar, no entanto, comprometem a velha amizade. A trama tem como pano de fundo um episódio histórico ocorrido na década de 1980, a corrida pelo ouro em Serra Pelada, que se tornou em pouco tempo o maior garimpo a céu aberto do mundo e uma terra sem lei.

Dhalia se mostrou muito satisfeito pela possibilidade de realizar a première de “Serra Pelada” em um grande evento e em condições diferentes daquelas em que exibiu outros trabalhos:

“O Festival de Rio é o maior evento de cinema do país junto com a Mostra São Paulo e é frequentado por muita gente de fora também. Já exibi muitos filmes aqui. Tenho uma relação grande com o Festival. Então, é uma honra e um prazer imenso estar nele para mostrar ‘Serra Pelada’ em uma sessão de gala, fora da pressão e do nervosismo da competição”.

Fonte: Globo.com