terça-feira, 13 de agosto de 2013

Em Gramado, Wagner Moura recebe homenagem e fala de manifestações

Durante a 41ª edição do Festival de Cinema, o ator apoiou as passeatas e descartou um possível 'Tropa de Elite 3': 'Não há a menor chance'.

 Pela primeira vez em Gramado, para participar da 41ª edição do Festival de Cinema, Wagner Moura foi escolhido para receber o Troféu Cidade de Gramado. “Há mais de 15 anos faço filmes, mas é a primeira vez que venho ao festival, isso é um absurdo”, brincou ele, ao receber a homenagem, na tarde deste sábado, 10.

Entre os assuntos abordados durante uma entrevista coletiva, Wagner falou sobre o papel social do cinema. “O filme brasileiro gosta de retratar o Brasil e o público tem ido assistir a esses filmes... Os filmes têm algo a dizer”, afirmou ele.

O protagonista de "Tropa de Elite" também comentou as recentes manifestações populares no Brasil e o papel do governador do Rio, Sérgio Cabral.  “O (Sergio) Cabral se popularizou pelas UPPs instaladas nas comunidades. Mas as UPPs são apenas o primeiro passo, entra com a segurança pública, mas também tem que levar hospital e escola”, apontou. Ele ainda afirmou que as manifestações fazem todo sentido. “Elas foram inesperadas e importantes para o país”,
avaliou.

Já sobre a possibilidade de ser rodado um Tropa de Elite 3, Moura foi categórico: “Não há a menor chance”.
Wagner acaba de estrear seu novo filme, "Elysium" - um longa americano de ficção científica, estrelado pelo ator brasileiro ao lado de Matt Damon, Jodie Foster e Alice Braga. “Esse foi o primeiro filme que fiz em outro idioma e o personagem é dúbio e cheio de nuances. O diretor, Neill Blomkamp, é um fã de Tropa de Elite e, assim como o Tropa, 'Elysium' tem uma mensagem bastante realística, quase documental, apesar dos efeitos de ficção científica”, contou.




Fonte: Ego