quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Com participações brasileiras, Sundance anuncia seus premiados


Idealizado por Robert Redford, o Festival de Cinema de Sundance surgiu em 1981 com o intuito de estimular a produção independente norte-americana. Trinta anos depois, Sundance está consolidado, engrandecido e é referência para cineastas de todo o planeta - incluindo brasileiros. A edição de 2011, especialmente, teve alguns ingredientes bastante conhecidos em solo nacional.

José Padilha e Wagner Moura foram ao festival acompanhar o lançamento de Tropa de Elite 2 no circuito internacional (em Fevereiro, estará no Festival de Berlim). Juntos, participaram de um debate sobre o filme, que foi extremamente bem recebido pela crítica. Peter Sciretta, do Slash Film, afirmou que se trata de "um daqueles raros filmes que funcionam para as massas, não somente funcionando como entretenimento, mas ao se aprofundar em questões sérias da realidade social do Brasil".

Sem Moura, Padilha foi membro do júri de documentários estrangeiros. Faz sentido: há cinco anos, Ônibus 174 foi aclamado internacionalmente e rendeu a ele uma indicação ao DGA Awards (prêmio do Sindicato Norte-Americano de Diretores); há três, Tropa de Elite venceu o Urso de Ouro; no ano passado, Segredos da Tribo foi indicado ao Grande Prêmio do Júri no mesmo Sundance. Três excelentes razões para o cineasta ser respeitado e reconhecido em solo ianque.


Por fim, havia Senna. O documentário, dirigido pelo britânico Asif Kapadia, levou o piloto brasileiro mais uma vez ao topo do pódio. A crítica aprovou, mas foi a audiência quem o escolheu o Melhor Documentário Estrangeiro do Festival - uma honraria que, no ano passado, foi concedida a um dos indicados ao próximo Oscar, Lixo Extraordinário.


Deixando o patriotismo de lado, o maior vencedor de Sundance foi Like Crazy, vencedor do Grande Prêmio do Júri para filme de ficção. O longa, agora adquirido pela Paramount Pictures, conta a história do relacionamento entre um garoto americano e uma garota inglesa, dificultado pela distância quando ela precisa voltar ao seu país. O norueguês Happy, Happy, sobre uma dona-de-casa que se vê atraída pelo novo e comprometido vizinho e passa a ter que enfrentar seus próprios medos, foi o escolhido pelo júri entre os estrangeiros.

O vencedor do Prêmio do Júri para documentários norte-americanos foi How To Die In Oregon, que aborda a questão da eutanásia no primeiro Estado do país a legalizá-la. Já o troféu dos estrangeiros acabou nas mãos de Hell and Back Again, focado na visão de um fuzileiro naval desde sua ida para o Afeganistão, em 2009, até sua reabilitação nos Estados Unidos.

Confira abaixo a relação completa dos vencedores nas 31 categorias de Sundance - e torça para que pelo menos alguns deles cheguem ao Brasil:


Grande Prêmio do Júri (Ficção): Like Crazy

Grande Prêmio do Júri (Documentário): How To Die In Oregon

Prêmio do Júri (Cinema Mundial - Documentário): Happy, Happy (Noruega)

Prêmio do Júri (Cinema Mundial - Ficção): Hell and Back Again (Reino Unido)

Prêmio da Audiência (Ficção): Circumstance

Prêmio da Audiência (Documentário): Buck

Prêmio da Audiência (Cinema Mundial - Ficção): Kinyarwanda (Ruanda)

Prêmio da Audiência (Cinema Mundial - Documentário): Senna (Reino Unido)

Prêmio da Audiência (Mostra NEXT): to.get.her

Direção (Ficção): Sean Durkin, de Martha Marcy May Marlene

Direção (Documentário): Jon Foy, de Resurrect Dead: The Mistery of the Toynbee Tiles

Direção (Cinema Mundial - Ficção): Paddy Considine, de Tyrannosaur (Reino Unido)

Direção (Cinema Mundial - Documentário): James Marsh, de Project Nim (Reino Unido)

Roteiro (Prêmio Waldo Scott): Another Happy Day

Roteiro (Cinema Mundial): Restoration (Israel)

Montagem (Documentário): If A Tree Falls

Montagem (Cinema Mundial - Documentário): The Black Power Mixtape 1967-1975 (Suécia)

Fotografia (Ficção): Pariah

Fotografia (Documentário): The Redemption of General Butt Naked

Fotografia (Cinema Mundial - Ficção): All Your Dead Ones (Colômbia)

Fotografia (Cinema Mundial - Documentário): Hell and Back Again (Reino Unido)

Prêmio Especial do Júri de Atuação (Ficção): Felicity Jones, por Like Crazy

Prêmio Especial do Júri (Ficção): Another Earth

Prêmio Especial do Júri (Documentário): Being Elmo

Prêmio Especial do Júri (Cinema Mundial - Ficção): Tyrannosaur (Reino Unido)

Prêmio Especial do Júri (Cinema Mundial - Documentário): Position Among The Stars (Holanda)

Prêmio Alfred P. Sloan (para filmes que têm ciência/tecnologia como tema): Another Earth

Prêmio Sundance/NHK para Cineastas Internacionais: Cherien Dabis

Prêmio do Júri de Curta-Metragem: Brick Novax pt 1 and 2

Prêmio do Júri de Curta-Metragem Internacional: Deeper Than Yesterday

Menções Honrosas em Curta-Metragem: Choke, Diarchy, The Legend of Beaver Dam, Out Of Reach e Protoparticles

(V.S.)

Fonte: Cinema em cena

1 COMENTE! :

Monica dos Santos disse...

O Wagner Moura esteve em Park City,conversou com a galera brasileira que estava no bus,a cidade tem onibus free para todos os pontos da cidade,e todos gostaram muuuuuuito de estar com ele lá.Tropa de Elite II,é um excelente filme é não conheço ninguém que diga o contrário.
Super abraço pro WAGNER MOURA !!!!!