segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Wagner Moura brilha como o farsante de 'VIPs'


Wagner Moura em 'VIPs', de Toniko Melo

A dez dias do lançamento de “Tropa de elite 2”, o Capitão Nascimento cometeu um crime, domingo, no Odeon: roubou o fôlego da Première Brasil à frente de “Vips”, thriller que fez de seu intérprete, o baiano Wagner Moura, o primeiro ator com fôlego para papar o troféu Redentor na Première Brasil 2010. No papel de Marcelo Nascimento da Rocha, piloto que se fez passar pelo dono da companhia aérea Gol, Wagner é a mola propulsora do exercício de competência — embora sem muita inventividade narrativa — dirigido por Toniko Mello ao custo de R$ 8,5 milhões. Fernando Meirelles assina a produção, que, farto em adrenalina, foi degustado pela Première como um aperitivo para “Tropa...”.

Previsto para estrear dia 25 de março, o longa de Toniko é baseado no livro “Vips — Histórias reais de um mentiroso”, de Mariana Caltabiano, diretora da animação “As aventuras de Gui & Estopa” e que apresenta no Festival do Rio o documentário "Histórias reais de um mentiroso”, sobre o mesmo personagem.

Na trama da ficção, o estudante Marcelo, vivido por Wagner, cultua uma paixão por aviões, a reboque da ausência do pai, um piloto (Norival Rizzo). Convencido por todos de que nunca vai crescer na vida, Marcelo, dono de uma lábia invejável, foge de casa, viaja para o Centro-Oeste e acaba aprendendo a pilotar, passando a servir um traficante chamado apenas de Patrão (o argentino Jorge D’Elía, de “O abraço partido”).

Ao ser preso pela polícia e ser obrigado a voltar para o convívio da mãe (Gisele Fróes), ele dá o golpe que o celebrizou: fingir ser Henrique Constantino, filho do dono da Gol. A trama e o ritmo frenético da (impecável) montagem de Gustavo Giani valeram a “VIPs” comparações com “Prenda-me se for capaz” (2002), de Steven Spielberg.

Quando e onde assistir:
SEG (27/9) - 15h - Pavilhão do Festival (exibição seguida de debate)
TER (28/9) - 17h50m e 22h10m - Estação Vivo Gávea 3

Fonte: O Globo