quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Sobrevoo de helicópteros para gravação do filme 'Tropa de Elite 2' assusta moradores de Laranjeiras

RIO - O sobrevoo de dois helicópteros pretos com homens armados assustou moradores de Laranjeiras, na manhã desta segunda-feira, que pensaram que se tratava de uma operação policial. Os helicópteros, no entanto, fazem parte das gravações do filme "Tropa de Elite 2", do cineasta José Padilha. A informação foi confirmada por Rodrigo Pimentel, um dos autores do livro que deu origem ao filme.
- Além do susto de acordar com o barulho dos helicópteros sobrevoando o bairro, ainda bateu aquele medo de haver um confronto entre polícia e bandidos nos arredores. Com a frágil segurança pública na cidade, acho que os moradores deveriam ter sido comunicados sobre a filmagem - reclamou Monica Ramalho, editora do site www.caixinhademusica.com, que mora na Rua Professor Ortiz Monteiro.
- Logo depois de acordar levei um susto com o barulho de helicópteros sobrevoando Laranjeiras. Moro na própria Rua das Laranjeiras, na altura da General Glicério, onde há acesso de subida para o Dona Marta. Pensei que fosse uma operação policial - acrescentou o editor de vídeo Bernardo Vieira, que se preparava para sair com mulher para trabalhar. - Saímos às 11h e vimos helicópteros com homens de preto pendurados para fora, armados. Depois ouvimos barulhos de tiros assim que eles saíram de nossa vista. Pensamos logo em problemas em alguma favela próxima. As pessoas estavam assustadas na rua. Passei pela Rua São Clemente de carro e notei a movimentação, de novo. Assim que cheguei ao meu escritório, vi nos sites de notícias que se tratava de uma gravação do "Tropa de Elite". Que absurdo! Ainda mais em uma cidade como a nossa, onde esse tipo de operação policial violenta é rotina. Uma falta de respeito não terem avisado à população, que já sofre tanto com a violência real e está traumatizada. Os produtores desse filme têm um discurso organizado de crítica à maneira como o governo lida com a segurança pública. Mas foram tão desrespeitosos quanto. Custava avisar antes, por rádio, internet, associação de moradores, sei lá?
Desde o início da manhã, 85 homens da área de segurança pública de todo o país participam, como figurantes, da filmagem, que foi interrompida por volta de 12h30m para o almoço da equipe.
A Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) também virou cenário do filme. No último dia 27, uma equipe de cem pessoas gravou cenas do longa na biblioteca da casa. Na Furna da Onça, sala onde os deputados se reúnem durante as votações no Plenário, foi montado um local para maquiagem, e na antessala da Tribuna de Honra, um camarim para os quatro atores que participam da cena. O corredor do segundo andar também foi interditado.
- Gravaremos na biblioteca, na Presidência e no plenário, onde teremos 300 figurantes trabalhando. É muito interessante podermos gravar num lugar que é real, não é um cenário construído. Aqui nós vamos poder juntar a dramaturgia à realidade, a uma estrutura e arquitetura que são as reais - comentou o diretor de Produção do filme, Edu Pacheco.
O diretor do filme, José Padilha, participou como ouvinte de uma série de reuniões da CPI das Milícias, presidida pelo deputado Marcelo Freixo (Psol), no ano passado. Cerca de 500 policiais de todo o Brasil e até de fora do país se inscreveram para participar da continuação do filme Tropa de Elite. Mas só 80 vão ser figurantes comandados, na ficção, pelos atores André Ramiro e Wagner Moura.


Fonte: O Globo