quinta-feira, 23 de julho de 2009

Depoimento de Fã



Há um mês atrás recebi uma ligação do Caio Junqueira dizendo: Hamlet vai para Curitiba nos dias 18 e 19 de julho. Eu fiquei muito feliz e antecipadamente nervosa.

O blog oficial do Wagner Moura é parceiro do blog oficial do Caio Junqueira, e essa parceria a algum tempo já se tornou em uma grande amizade, portanto esse meu relato da passagem da peça Hamlet na capital paranaense para este espaço é inevitável.
No dia 18 de julho chegamos ao teatro mais cedo, pois precisava pegar os ingressos de convidada na bilheteria. Na entrada do Teatro Positivo já havia vestígios de que seria dia de "casa cheia", pois já havia muitas pessoas por lá.
A peça:
Muito já foi dito da peça nesse blog, e não quero parecer repetitiva. As
frases da peça são muito marcantes - "É com o teatro que eu vou agarrar a consciência do rei". Todos os atores trabalham brilhantemente, Hamlet de Wagner Moura é cheio de gestos e com muitas falas irônicas. A cena que mais me assombrou (no sentido de admiração) foi a que o Hamlet revela a mãe dele que se fingiu de louco, e fala da morte do pai. Essa hora foi impossível conter as lágrimas, eu vi um espelho diante de mim nesse momento.Vi um Horácio (Caio Junqueira) concentrado, uma Ofélia (Georgiana Gões) que nos surpreende cantando, um Laertes (Fábio Lago) de expressões fortes, um Polônio (Gillray Coutinho) muito engraçado e mais todos os atores que juntos formam um "time" que fizeram a peça de teatro mais linda que já vi em toda minha vida.O Wagner conseguiu.Conseguiu fazer um Hamlet popular, de fácil compreensão.
Após a peça me encontrei com o Caio, e delicadamente, disse ao Caio que tinha presentes para o Wagner. O Caio me apresentou para o Wagner e ele com um sorriso lindo olhando para mim disse: Você é a Paula? A Carol disse que você vinha!
Fez elogios e foi muito atencioso comigo. Conversamos sobre a peça, eu o parabenizei e ele ficou todo orgulhoso com as minhas palavras. Enquanto isso, o Caio pegou minha máquina fotográfica e ficou tirando fotos. Entreguei os presentes e um deles entreguei em nome da Carol Monteiro junto ao pessoal da Máfia, Wagner ficou muito honrado e feliz com os presentes. Era nítida a felicidade dele. O Caio comentou: Foi o nosso maior público, falaram em 2.500 pessoas.Eu comentei sobre o episódio do Sexo Frágil em que o Caio participa e o Wagner disse: Nossa é mesmo, era tão legal! Olhando para o Caio disse: Onde eu arrumo esses episódios? O Caio respondeu: Eu vi quando a Paula colocou no youtube, e eu disse que tem o DVD para comprar. O Wagner nos atendeu sem nenhuma pressa. Meu encanto por esse baiano só aumentou.

No segundo dia (19/07), Caio manda uma mensagem dizendo que era para chegar mais cedo procurar a Nil Caniné para nos mostrar os bastidores. Por falta de vontade do pessoal do teatro que demorou para chamar a produtora, não conseguimos entrar antes da peça, mas a Nil (produtora) num ato de gentil
eza disse: Paula! Vamos deixar para o final, pois assim você tem mais tempo de registrar tudo e o Caio pode mostrar tudo para você.Assistimos a peça e logo após fomos para o saguão que estava cheio de fãs esperando os atores. A Nil nos chama (eu e minha amiga Aline que me acompanhou nos dois dias de peça) e pessoal reclamou da nossa "exclusividade", porém a Nil esplicou: Elas são do fã clube do Rio de Janeiro, a Paula trabalha com os meninos (home page) e é amiga, por isso ela vai entrar.Entrando encontrei o Caio de braços abertos para nos mostrar tudo. Porém quando chegamos ao palco o pessoal já estava desmontando tudo. Porém só o fato de estar lá, já foi muito gratificante. No meio do papo com o Caio, aparece o Wagner bem tranquilo (e de banho tomado) comentando sobre o som. Nos cumprimentou calorosamente, e agradeceu os presentes e a "cartinha" que minha amiga fez para ele. Tiramos fotos e acertamos uma surpresa que em breve eu e a Carol vamos publicar nos blogs (tanto neste aqui como no do Caio Junqueira Oficial).


Eu fui tratada como uma rainha, por todos. E aqui eu preciso agradecer a todos em especial ao Caio Junqueira, Wagner Moura e a Nil Caniné peça recepção calorosa e pela paciência.Reconhecimento.Essa é a palavra que vou sempre guardar comigo, após esses dois dias.Curitiba foi presentiada com duas belas apresentações.
Carol Monteiro, você sabe que a nossa união e amizade foi a porta de entrada para esses dias tão maravilhosos que tivemos nos dias em que acompanhamos a peça. Unidas somos mais fortes. Obrigada por tudo.

Um abraço para todos que visitam esse espaço.

Paula Andréia