terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Despoluir a política



Para o ator Wagner Moura, é quase impossível pensar em meio ambiente sem levar em conta o cenário social do país. Wagner, que viveu nos últimos anos memoráveis personagens no cinema - entre eles, o Taoca (Deus é Brasileiro) e Romão (Caminho das Nuvens) - acha que o problema das favelas no Brasil é estrutural e que o país precisa investir urgentemente numa reforma agrária para valer e em políticas que prendam o homem ao campo.

EcoPop - Que problema ambiental deveria ser priorizado pelo governo brasileiro?

Wagner Moura - A questão da terra é um problema sério no Brasil. É um problema social que tem implicações em outras áreas importantes. Por isso a reforma agrária é fundamental. A distribuição da terra no Brasil é um problema histórico. A impunidade dos grandes latifundiários é muito grave, assim como o trabalho escravo.

Mas falando mais especificamente de problemas ambientais, qual deles você elegeria como o pior?

Eu diria que a poluição é um dos piores problemas ambientais no Brasil. Poluição de qualquer tipo é uma coisa horrorosa, que passa ainda pela questão cultural. É triste ver um carro de rico jogando lixo pela janela. E tudo passa pela educação, pela noção de cidadania, que é pouco valorizada nas escolas públicas, e também nas particulares. A questão ecológica passa pela questão da cidadania. De se educar as pessoas para reciclarem seu lixo e passarem a fazer pequenas ações no seu dia-a-dia.

No Rio, o crescimento urbano desordenado favorece o aumento de favelas em áreas ainda verdes. Há saída?
Me preocupo menos com a invasão das áreas verdes e mais com um crescimento das favelas que mostra que o país não abre alternativas para a população. Se o país contasse, por exemplo, com uma agricultura forte que favorecesse a permanência das pessoas no campo, esse problema poderia diminuir. A questão estrutural é uma questão grave no Brasil. De novo, tem a ver com a questão da terra. O país foi loteado lá no início, onde um único cara tinha uma área do tamanho da Bélgica...Tudo já começou errado, mas o que fazer para melhorar eu não sei. Acho que começa com uma reforma política decente. Aproveitar toda essa sujerada e começar de novo.

Você acha que o brasileiro dá valor ao meio ambiente?

Dá e não dá. Dá porque tem consciência de viver num país riquíssimo, com suas florestas, rios etc. Mas, talvez justamente por conta dessa abundância de recursos, o meio ambiente seja menos valorizado. Talvez por ter tanta coisa o brasileiro não dê tanto valor assim a tudo isso.

Você já se engajou em alguma campanha ou ONG ambiental? Tem vontade?

Nunca participei de nenhuma campanha ou ONG. Mas tenho muita simpatia pelo Partido Verde. Só acho que ele poderia ajudar mais no cenário político. Também tenho vontade de participar de campanhas. Não sei se vou ter tempo para catar lixo na praia, por exemplo. Mas empresto o meu nome com o maior prazer para qualquer iniciativa positiva nessa área.

Quais são suas pequenas ações pessoais em favor do meio ambiente?

Eu nunca jogo lixo pela janela. E tento viver de acordo com um padrão de civilidade que respeite o meio ambiente.

Fonte: EcoPop
Texto editado por Andressa Santos