quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Wagner Moura e Letícia Sabatella brilham em noite de cinema




Atores são os protagonistas de "Romance", que teve exibição no Rio

Uma platéia estrelada conferiu a exibição de “Romance”, de Guel Arraes, terça-feira (07), no Festival do Rio, no Cine Palácio, no Centro. O roteiro do novo longa do pernambucano gira em torno de dois jovens atores que se apaixonam durante a montagem teatral do clássico romance de Tristão e Isolda. Enquanto seguem os passos do famoso casal nos palcos, eles tentam encontrar uma nova forma de amar, menos trágica e mais livre, mas com a mesma emoção.

Caetano Veloso, que compôs a música tema do casal de protagonistas Wagner Moura e Letícia Sabatella, estava ansioso.“Já vi numa telinha, mas nessa tela enorme aí ainda não. Foi muito gostoso fazer esse trabalho”, comentou. Para Vladimir Brichta, que está no elenco e foi assistir ao filme na companhia da mulher, Adriana Esteves, o longa é ideal para casais: “Quem vier assistir a ‘Romance’ vai encontrar uma história linda, ideal para levar o namorado ou a namorada, a esposa ou o marido.

Perguntado sobre como foi atuar ao lado de Letícia Sabatella, com quem protagoniza cenas quentes, Wagner Moura revelou:

“Nos conhecemos por conta do ativismo político e acabamos fazendo um filme romântico. Foi muito legal”. Lázaro Ramos chegou atrasado, mas conseguiu assistir ao filme desde o começo. O ator fez questão de dizer que aprovou a forma como o longa “fala de amor em um contexto moderno”, mas como já é de praxe, fugiu de perguntas pessoais, principalmente sobre o suposto affair com a atriz Thaís Lopes. Paula Burlamaqui foi às lágrimas durante a exibição. “Achei lindo o paralelo da história de amor de Tristão e Isolda com a realidade. Gostei de muitas cenas, me emocionei mesmo”, disse.

Já Letícia Sabatella contou que preferiu as cenas mais fortes. “Gostei mesmo das cenas de briga!”, disse. A atriz rasgou elogios ao diretor. “O Guel faz uma coisa tão acessível nessa linguagem moderna que qualquer pessoa é capaz de entender. Eu não esperava que fosse um filme que tivesse apelo popular”, entregou. Sobre as muitas cenas de nudez, explicou: “O Guel tem o maior bom gosto e muito mais pudor do que eu. E a personagem precisava dessa liberalidade, então foi natural, como estar vestida”.

Apesar da disposição para dar entrevistas, Letícia chegou pedindo um comprimido para dor de cabeça e não conseguia esconder um ar de cansaço. Também não era para menos. A atriz chegara da Índia pela manhã e fora direto gravar cenas da próxima novela das 20h, “Caminho das Índias”, da Globo. Do PROJAC Letícia rumou para o cinema, ainda carregando as malas, e depois seguiu para a festa do filme no Galpão da Ação da Cidadania, na zona portuária, antes de ir para casa.

Elogioadíssimo, Marco Nanini, que chegou a ser aplaudido mais de uma vez nas cenas em que aparecia no filme, falou sobre a satisfação do reconhecimento do público. “A melhor coisa para um ator é saber que está comunicando alguma coisa para outra pessoa. Mas as cenas foram muito bem escritas, o crédito é do roteiro”, justificou, humilde. Sobre os atores de longa-data que se tornam afetados como o seu personagem, comentou: “É uma pressão emocional muito grande e realmente tem muitos atores que beiram o ridículo”. Para Andréa Beltrão, um dos vértices cômicos do filme, Guel Arraes transita entre todos os gêneros com segurança. “Ele pode fazer o que quiser. Mais que um grande diretor ele é um grande artista”, comentou. Rafaella Mandelli, Carolina Dieckman, Vanessa Lóes, Marieta Severo, entre outras celebridades, também prestigiaram o evento.



Fonte: Quem Acontece