terça-feira, 15 de abril de 2008

Wagner Moura em Todos os homens do mundo



Intérprete de Capitão Nascimento, Wagner Moura chora em shows de Roberto Carlos

Domingos de Oliveira, diretor do programa, o descreveu como um meteoro. Afinal, um ator que alcança o sucesso de uma maneira tão rápida merece a comparação. Por sua vez, Wagner declarou que não consegue fazer vários trabalhos ao mesmo tempo e que chora sempre que uma peça sua termina.

Esse é o resumo do papo de Wagner e Priscilla Rozenbaum na estréia da segunda temporada de "Todos os homens do mundo", no Canal Brasil.

Na atração, o intérprete do durão Capitão Nascimento, de "Tropa de elite", entrega que chora nos shows de Roberto Carlos. "Do início ao fim" e fala sobre seu novo trabalho como produtor teatral de "Hamlet" no qual também atuará.

"Quero fazer um Hamlet popular", avisou ele sentado no chão com Priscilla, na casa onde é gravado o programa.

Casado com a fotógrafa Sandra Delgada, com quem tem um filhinho, Bem, o intérprete derrete-se por sua família, principalmente por San, como ela chama carinhosamente sua mulher.

"Tem muita gente interessante e sedutora ... Mas a parceria, a tranqüilidade, o amor, a paz, a entrega, a força que você tem em estar com alguém, acho que não vale a pena a troca. Minha mulher é minha vida", diz Moura.

E claro! A amizade com o conterrâneo Lázaro Ramos também fez parte do papo com declarações sobre o dia-a-dia dos dois.

Fonte: Blog da Patrícia Kogut e Programa Todos os homens do mundo
Texto editado por Carol Monteiro