quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Com Capitão Nascimento, Brasil mostra força no Festival de Berlim



A força do Capitão Nascimento, personagem representado por Wagner Moura no filme "Tropa de Elite" de José Padilha, tonifica a participação brasileira no Festival Internacional de Cinema de Berlim...

A força do Capitão Nascimento, personagem representado por Wagner Moura no filme "Tropa de Elite" de José Padilha, tonifica a participação brasileira no Festival Internacional de Cinema de Berlim, a Berlinale. O filme, que já estava escalado para ser exibido no Sundance nos EUA, retirou a inscrição do festival norte-americano para poder entrar na competição ao Urso de Ouro. No festival alemão só concorrem filmes inéditos.

Apesar de ter sido lançado no Brasil, a estréia internacional está marcada para o dia 11 de fevereiro em Berlim e o filme conseguiu entrar na mostra oficial. O último filme brasileiro que levou o prêmio foi "Central do Brasil" de Walter Salles, há dez anos.

Oito filmes brasileiros completam o esquadrão que representa o país de 7 até 17 de fevereiro, espalhados por quase todas as seções do festival.
"Maré, Nossa História de Amor" de Lucia Murat, um musical baseado livremente em "Romeu e Julieta", é um dos destaques entre os brasileiros já que a Berlinale tem a música como alvo principal nesta edição. O longa, cotado para a seção Panorama, é ambientado numa violenta favela carioca e deve dar forças ao bem quisto estilo ''Favela Movie''. Desde o sucesso internacional de "Cidade de Deus", de Fernando Meirelles, as caracterizações de favelas permeiam o imaginário de cinéfilos pelo mundo e são cenário garantido na Berlinale.

Em linha semelhante, "Cidade dos Homens", de Paulo Morelli, também foi escalado e faz parte da programação de filmes infanto-juvenis, na seção Generation. Na mesma seção está o longa "Mutum", filme de estréia da videoartista Sandra Kogut que já passou pelo Festival de Cannes. A narrativa se desenrola pela perspectiva de um garoto de 10 anos, Thiago.

O curta "Café com Leite", de Daniel Ribeiro, completa a programação jovem e fala sobre as mudanças na vida de um casal homossexual com a chegada do irmão mais novo de um deles. Outro curta com temática gay é "Tá", de Felipe Sholl, (na seção Panorama), que mostra dois rapazes que trocam experiências em um banheiro público. Os dois curtas estão concorrendo ao Teddy, o prêmio para filmes com temática gay. O cantor Edson Cordeiro é quem anima a festa de gala da premiação.

Concorrendo ao melhor curta do festival, na Berlinale Shorts, está "Dreznica", de Anna Azevedo. O filme repensa a imagem a partir de depoimentos de deficientes visuais. Em 2006 a diretora ganhou o concurso Berlin Today Awards que faz parte da Berlinale Talent Campus com o curta documentário "BerlinBall".

Cozinha Brasileira

Com duas produções brasileiras a seção Eat, Drink and See Movies está cheia de sabores do Brasil. "Mr. Bené Goes to Italy", de Manuel Lampreia Carvalho, mostra a saga do Sr. Bené, um pequeno produtor de mandioca que faz sua primeira viagem internacional para o congresso de fazendeiros Terra Madre em Turin, na Itália.

Já o vencedor do prêmio de público no Festival do Rio 2007, "Estômago" de Marcos Jorge, vem acompanhado de um menu especial com direito a farofa e preços salgados. Depois da exibição, no restaurante do próprio cinema, o público tem a chance de pedir os pratos inspirados no filme e participar de uma conversa ''calórica'' com a equipe.

Fonte: Cornélio Notícias