sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Wagner Moura e Camila Pitanga se encontraram e deram á história da TV o casal Bebel e Olavo.

Eles não afirmam categoricamente que este foi o melhor ano de suas vidas profissionais,mas ressaltam a importância de um encontro fundamental: 2007 foi o ano em que eles - Wagner Moura e Camila Pitanga se encontraram e deram á história da TV o casal Bebel e Olavo. A prostituta e o vilão ajudaram a fazer de Paraiso Tropical uma novela inesquecível!

Para dimensionar o prazer de trabalhar com Camila Pitanga,Wagner Moura faz piada:

- Sabia que Lazinho tá morrendo de ciúmes? - diz ele, soltando o sotaque baiano, que na TV fica escondido, para se referir ao amigo Lázaro Ramos, outra parceria inestimável em sua vida.

Camila gargalha e concorda que Bebel, personagem que sacudia a novela de Gilberto Braga e Ricardo Linhares com seu rebolado e um jeito moleque provavelmente não teria saído da maneira que o público viu se seu paeceiro não fosse Wagner.

- A coisa fluía,né, Waguinho ?! - comenta ela,num reencontro promovido esta semana pela troca de carinhos entre os dois amigos

- É, a gente ensaiava de um jeito e fazia de outro
- responde Wagner, lembrando que, quanto mais eles brincavam em cena, mais o diretor Dennis Carvalho vibrava!

Os atores não se viam desde do fim da novela,em setembro, e hoje,despidos de de seus personagens, não tem dúvidas da razão do sucesso da cachorra e do psicopata. O apelo do casal era tanto que o público sonhava com um final feliz para os dois, apesar das maldades. Os autores resistiram, mas só mataram um: o executivo Olavo, que não media esforços para ficar com a fortuna do tio, Antenor (Tony Ramos) Bebel acabou rica, famosa e deslumbrante mas sem o amor da sua vida!

- Acho que foi o humor que tornou a dupla um sucesso. Eu sempre procuro um pouco a comédia nos meus trabalhos e não estava achando essa possibilidade com o Olavo até a Camila entrar em cena. Quando a Bebel apareceu na vida dele, achei a chave do humor.
_ diz Wagner .

-A quebra para comédia explica a popularidade deles -concorda Camila. - O romance humanizou os dois - diz a atriz, que este ano também apareceu nas telas do cinema ao lado de Wagner em Saneamento Básico de Jorge Furtado.

Felizes com o reconhecimento do público


- Se Camila ficou mais conhecida, imagine eu.
_ diz Wagner

Os dois nem sequer repetem o tradicional lamento contra a excessiva exposição que acompanha o sucesso numa novela das oito . Sendo que Wagner também incluiu em seu currículo o cara mais falado do ano no cinema com: o Capitão Nascimento de Tropa de elite. Pouca gente - se é que existe alguém - foi tão fotografada quanto eles em 2007.

- Estivemos muito expostos mas em função do trabalho - diz Camila grávida de quatro meses - Tomo cuidado para não falar do que não é trabalho mas não me sinto refém desse assédio - Continuo levando minha vida normalmente. Acho que não nos sentimos muito invadidos porque nossa vida é sem graça, né Waguinho?

- É. O povo não acha graça nisso, não
. - brinca ele, casado com a fotógrafa Sandra e pai de Ben, de 1 ano e 4 meses.
Eles acham que depois de uma Bebel e de um Olavo - e no caso dele , após um Capitão Nascimento - é necessária uma pausa , um silêncio respeitoso para que a poeira baixe.

Em 2008,Camila só quer saber de Antônia, a filha que vai nascer. Wagner, que se recupera de uma uma cirurgia no joelho, encenará Hamlet , peça com qual vai rodar o país!
Os dois conversam descontraidamente na hora das fotos. Camila comenta que era mais fácil posar como Bebel que estava sempre "montada".
- Posar de Camila é mais dificil. Fico encabulada!

- Fica o quê, neguinha ?!
diz Wagner

E recomeçam as gargalhadas e o papo jogado fora - coisa de gente genuinamente feliz por ter se achado!

Fonte: O Globo