sábado, 6 de outubro de 2007

Estréia de 'Tropa de Elite' é antecipada. Longa pode virar série de TV





Cópias piratas fizeram com que produtores adiantassem data de chegada do filme aos cinemas do Rio e SP para a sexta-feira, 5

Em função do sucesso de "Tropa de Elite", de José Padilha, a estréia do filme no Rio e em São Paulo foi antecipada para a sexta-feira, 5 - antes, estava marcada para o dia 12.

A decisão foi das produtoras Zazen e Universal Pictures do Brasil, por conta da pirataria. O longa protagonizado por Wagner Moura ganhou notoriedade por ter sido apontado como o mais 'pirateado' do cinema nacional.

A estimativa é a de que.r mais de um milhão de cópias piratas do filme "Tropa de Elite" já tenham sido vendidas Brasil afora. O longa-metragem de José Padilha, que só teve duas exibições oficiais no Festival do Rio, já é assunto em todas as regiões do país.

Wagner Moura , que viveu o Olavo em "Paraíso Tropical " e que interpreta o capitão Nascimento em "Tropa", soube que o filme está "bombando nos camelôs da Baixa do Sapateiro, em Salvador". Padilha, por sua vez, já recebeu emails de espectadores que viram o longa em Porto Alegre. Surpresos com a notícia de que uma cópia teria sido até legendada em inglês, diretor e elenco comentaram a pirataria em entrevista coletiva nesta terça, 2.

"Vamos tentar bloquear estas cópias, como temos feito até agora. Não sabia que já havia essa cópia para o inglês", lamentou Marcos Prado, produtor do filme e sócio de Padilha na produtora Zazen.

Frustração e surpresa

Apesar de frutrados com a divulgação das cópias antes de o filme ter sido finalizado, o elenco está surpreso com a resposta do público.

"99% por cento das pessoas que me abordaram foi de forma positiva, para nos parabenizar pelo filme", disse o ator Caio Junqueira.

Fernanda Machado também comentou os elogios que tem recebido por conta do filme. "Eu e Wagner soubemos da pirataria por camareiros do Projac, que viram o filme antes da gente", contou. "Mas o que vemos é que quem vê o filme ama, independente se concorda com ele ou não".

Expectativa é de 5 milhões de espectadores no cinema

Para Padilha, não há muito o que ser feito para combater a pirataria senão a educação. "As pessoas têm de entender que isso implica em sonegação fiscal, em crime trabalhista, em competição desleal".
Já Wagner Moura acredita que as grandes empresas precisam se adaptar à realidade atual, na qual muita gente prefere baixar músicas e filmes pela internet.

"Não temos muito como voltar atrás. E falo isso mesmo sendo um analfabeto tecnológico", disse.

Padilha e Prado ainda não se arriscam a avaliar o prejuízo que a pirataria vai causar à bilheteria do filme. Mas o segundo arrisca um palpite: "acho que faz mais de 5 milhões de espectadores".

Série de TV
Diretor de "Tropa de Elite ", José Padilha revelou que já recebeu propostas de três emissoras de televisão para transformar o longa-metragem em uma série para TV.

Apesar de ter feito o filme sem cogitar a hipótese de uma adaptação, Padilha disse que já conversou com dois canais, um de TV por assinatura e outro aberto. O terceiro convite seria de uma TV aberta também.

"O meu filme é completamente independente e, para mim, já é uma obra em si", disse. "Mas alguns canais já nos procuraram e estamos conversando".

Galeria








Fonte: Ego