quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Wagner Moura é homenageado pela revista Vogue



Poderoso, surpreendente e emocionante. Essas foram algumas das palavras que Adriana Falcão usou para descrever Wagner Moura em uma homengem que a "RG Vogue" deste mês traz em suas páginas.

A autora, que conheceu o ator em 1998, quando assistia a peça "Abismo de Rosas", relembra esse momento na matéria e descreve o que sentiu ao ver Wagner atuando.

“Uma presença todo-poderosa, uma corredeira de emoções, uma capacidade de surpreender a gente, e surpreender de novo, e mais uma vez, e ainda outra. O carisma, o atrevimento, a sedução. Aquela naturalidade quase sobrenatural”, diz ela na matéria.

Logo depois, Adriana, juntamente com o marido João Falcão, convidariam Wagner para trabalhar na peça "A Máquina". O espetáculo, que mais tarde virou filme, revelaria também Lázaro Ramos e Vladimir Brichta

Além da homengem que recebe na edição de setembro da revista, Wagner Moura se prepara também para estrear o filme "Tropa de Elite", no dia 20 deste mês, na abertura do "Festival do Rio".

O ator passou por um treinamento de 20 dias para viver um capitão do BOPE e, em uma das cenas, chegou a quebrar o nariz do capitão Paulo Storani, responsável pelas aulas técnicas. Isso só aconteceu porque Paulo levou Wagner Moura ao limite de seu controle psicológico.
Sobre o trabalho como oficial da PM, ele se resumiu a dizer: “Foi tenso”.

O ensaio








Fonte: Ego