sábado, 15 de setembro de 2007

Noite de gala com Tropa de Elite



O aguardado Tropa de Elite, de José Padilha, abrirá o Festival do Rio 2007. O filme que revela os bastidores da segurança pública no Rio de Janeiro é uma das produções selecionadas da mais nova safra do audiovisual brasileiro. Só a mostra Première Brasil reúne 34 longas-metragens e 24 curtas.

Lucia Murat, premiada como melhor diretora no Festival do Rio de 2004 com Quase Dois Irmãos, apresenta Maré, Nossa História de Amor, um musical que conta a história de dois moradores do Complexo da Maré, cujas comunidades abrigam hoje quase 150 mil habitantes. Lúcia também exibiu Brava Gente Brasileira, na edição de 2001 do festival, e Olhar Estrangeiro, em 2005.

A diretora Sandra Kogut que, em 2003 apresentou Um Passaporte Húngaro na Première Brasil, traz para a competição entre os longas-metragens Mutum, filme que fez parte da seleção da Quinzena dos Realizadores do Festival de Cinema de Cannes deste ano.

Deserto Feliz, do pernambucano Paulo Caldas, também participa na categoria de Melhor Longa-Metragem de Ficção. O filme acompanha a trajetória de uma menina nordestina que se prostitui para tentar fugir da miséria. Representante do Brasil no Festival de Cinema de Berlim deste ano, A Casa de Alice, de Chico Teixeira, é mais um dos concorrentes ao melhor longa de ficção.

Na categoria Hors Concours, está o aguardado Jogo de Cena, do documentarista Eduardo Coutinho, que optou por mesclar o documental com a ficção, escalando um elenco pela primeira vez em muitos anos. Evaldo Morcazel, vencedor na escolha popular em 2005 com Do Luto à Luta, repetiu o feito em 2006 com À Margem do Concreto, e agora traz Brigada Pára-Quedista para a competição. Na mesma categoria, Helvécio Ratton já havia apresentado em 2004 O Casamento de Iara. Ele volta este ano com Pequenas Histórias.

A categoria Retratos, que reúne filme-biografias, traz homenagens ao artista plástico Carlos Oswald (Carlos Oswald – O Poeta da Luz, de Régis Faria), ao diretor Paulo César Saraceni (A Etnografia da Amizade, de Ricardo Miranda) e à dramaturga Maria Clara Machado (O Tablado e Maria Clara Machado, de Creuza Gravina).

Dentre a seleção competitiva de curtas-metragens estão Um Ramo, filme de Juliana Rojas e Marco Dutra, e Saliva, de Esmir Filho, que também concorre ao prêmio de Melhor Curta-Metragem do Festival do Rio deste ano.

A seleção completa dos filmes escolhidos para representar a recente produção cinematográfica nacional é composta de 34 longas e 24 curtas.

Fonte: Site do Festival do Rio