sábado, 28 de julho de 2007

Saneamento Básico, um filme completo



Jorge Furtado não se define como diretor, mas como um roteirista que dirige, mesmo assim está se firmando como um dos melhores diretores do Brasil. O apuro técnico e a caprichada direção de atores de seus filmes ficam léguas distantes do que muita gente ainda acha que seja cinema nacional.

Saneamento Básico, seu novo longa, que chega agora às telas, é uma história de amor ao cinema, sobre como a arte pode mudar a visão de mundo das pessoas, ampliando seus horizontes,

Na trama, uma vila na serra gaúcha tenta há anos construir uma fossa que elimine o esgoto a céu aberto. Como saneamento básico não é a prioridade da prefeitura, a única verba disponível é o dinheiro que o governo federal oferece em um concurso de curtas-metragens a novos realizadores. A família de Marina (Fernanda Torres) e Joaquim (Wagner Moura) precisa, então, produzir um filminho para pagar a fossa, e lá vão eles emprestar câmera, costurar fantasia, arrumar figurante...

A partir daí, Furtado constrói uma comédia que consegue divertir enquanto mostra que mesmo em um país sem dinheiro para o saneamento básico é importante fazer cultura, produzir alguma coisa que tenha valor emocional. A mudança de atitude dos personagens, até começarem a levar seu filminho a sério, reflete o que todos nós pensamos sobre o que é necessário para um país na situação do Brasil.

Furtado esperou um bom tempo para ter em mãos o que chamou de elenco perfeito e valeu a pena. Usando atores que já podem ser conhecidos como a sua turma, devido a constantes parcerias tanto na TV como no cinema, ele pode ter atuações perfeitas em papéis muito bem adequados.

Saneamento Básico tem no elenco Fernanda Torres, Wagner Moura, Camila Pitanga, Lázaro Ramos, Bruno Garcia e participações especiais de Paulo José e Tonico Pereira.

Fonte: Jornal A Voz da Cidade