quarta-feira, 27 de dezembro de 2006

José Padilha antecipa seu Tropa de Elite



Depois de arrancar elogios da crítica mundial com o ônibus 174, o diretor revela - em primeiramão - detalhes de seu próximo projeto

O desabafo sai da boca de um policial: Irmão, só Kafka para imaginar uma polícia como a nossa�. Ele é o personagem principal de Tropa de Elite, filme que promete ser tão explosivo quanto Cidade de Deus. À frente do longa-metragem, que mostra pela primeira vez a violência do ponto de vista do policial, está uma tropa de choque. O diretor é José Padilha, do premiado Ônibus 174. Ele também assina o roteiro, ao lado do ex-capitão da PM Rodrigo Pimentel e de Bráulio Mantovani, indicado ao Oscar por Cidade de Deus.

O protagonista é inspirado no capitão da PM André Batista, que lançou há pouco com Pimentel e o antropólogo Luiz Eduardo Soares o livro Elite da Tropa. O ator Wagner Moura já confirmou sua participação, e os efeitos especiais estão a cargo do americano Phil Neilson, o mesmo de Falcão Negro em Perigo.

Testes de elenco e seqüências de ação

O elenco ainda está sendo escolhido, mas o baiano Wagner Moura já aceitou o convite. A responsável pela preparação dos atores de Tropa de Elite é Fátima Toledo, a mesma de Cidade de Deus. O ator que vai interpretar o protagonista sairá de um dos testes.
A escolha do americano Phil Neilson como técnico responsável pelas cenas de ação se deu após policiais do Bope terem visto vários filmes de tiroteio e de guerra, como Platoon, O Resgate do Soldado Ryan e Fogo contra Fogo.

Filme mostra como a sociedade vê a polícia

Tropa de Elite, o filme, não é inspirado em Elite da Tropa, o livro, apesar da presença de Pimentel e Batista nos dois projetos, e de também contar os bastidores da polícia.
A certa altura do filme, um oficial alerta para os riscos de se invadir uma favela ao lado de onde o Papa vai dormir. Ele ironiza: "O nosso trabalho é garantir que o Papa durma com os anjos, sem escutar nenhum tiro".

Fonte: GazetaWeb.com