quarta-feira, 15 de março de 2006

Pré-estréia de A Máquina emociona famosos



A história de amor entre Antonio e Karina, idealizada por Adriana Falcão e transformada em filme por seu marido, João Falcão, levou vários famosos ao UCI, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, na noite do dia 14 de março. O envolvimento de João Falcão com o texto é antigo. Ele adaptou o texto de Adriana Falcão para os palcos do teatro em 2000. O resultado foi um retumbante sucesso que projetou Lázaro Ramos, Wagner Moura, Vladimir Brichta e Gustavo Falcão, sobrinho do diretor.

Wagner Moura garante os momentos mais engraçados da história na pele do apresentador de tevê, representando âncoras de programas que vivem na luta por um bom índice de audiência.

O filme é maravilhoso, tem características teatrais, assim como a peça tinha características de cinema. Essa mistura de linguagens é ótima, diz Wagner Moura.

Em sua estréia no cinema, Vladimir Brichta faz uma participação especial, como José Onório, morador de Nordestina, cidade onde se desenrola a história.

A gente espera que o filme seja um sucesso de público e não apenas que tenha uma crítica maravilhosa. Foi ótimo poder estrear no cinema num file do João, com quem trabalho desde 1998. Participei da peça A Máquina, em 2000 e 2001 e agora o filme transforma a carreira de todos nós, destaca Vladimir a OFuxico.

Protagonista da trama, Gustavo Falcão, comemora a boa aceitação do público.
Histórias de amor são sempre bem recebidas, e essa, que mistura ficção, foi muito bem aceita, diz Gustavo.

Mocinha de A Máquina, Mariana Ximenes contou sua experiência no sertão do Ceará, onde filmou o longa.

Minha mãe é do Ceará, busquei inspiração na convivência que tive com os moradores de Nova Olinda, lá no sertão. Fiquei numa casa sem banheiro, tinha que tomar banho de cuia. Foi uma experiência de vida. A simplicidade é muito bacana, as pessoas são guerreiras, gostam de viver. Karina é uma personagem muito intensa, adorei faze-la, diz a atriz.

Lázaro Ramos foi a ausência mais sentida na pré-estréia. O ator estava envolvido num novo trabalho, em Salvador, e por isso não foi ao evento.

Paulo Autran, que interpreta o protagonista no futuro, foi outra ausência sentida.
Luiza Valdetaro, Babi Xavier e Daniel Fillho deixaram as salas de cinemas encantados. Daniel ainda fez piada.

O João usou um pouco de nepotismo. Usou o texto da mulher e colocou o sobrinho de protagonista. E não é que deu certo? A Máquina é um cordel maravilhoso, encantador. Fiquei emocionado, destaca Daniel Filho.

Amor e sonho

Em Nordestina, cidadezinha perdida no sertão, Karina da rua de baixo (Mariana Ximenes) sonha em ser atriz e partir para o mundo. Antes que seu amor lhe escape, Antônio de Dona Nazaré (Gustavo Falcão) adianta-se numa cruzada kamikaze para trazer o mundo até Karina.

A Máquina é uma história em que os sonhos contradizem a realidade, as condições geográficas e políticas ameaçam conter a vida, e o amor desempenha o papel de elemento transformador.

Galeria




Fonte:OFuxico, Estrelando e Babado