quinta-feira, 27 de outubro de 2005

Hum...

Baianidade e malandragem cubana dos anos 40 em cenários coloridos e uma caracterização que brinca com chapéus Panamá, charutos e suspensórios. É assim que Wagner Moura pode ser encontrado na capa da Vogue RG desse mês acompanhado pelos amigos Lázaro Ramos e Vladimir Brictha em um ensaio de 16 páginas.

E segundo a revista: "O elétrico Wagner Moura é a antítese do tradicional esteriótipo do baiano, sempre desligado da tomada. "

E ele declara: "O fato de me classificarem como um ator baiano não me restringe. Ao contrário. É um adjetivo que vou carregar sempre. Uma certidão de procedência".

Em destaque, além das fotos lindíssimas, a amizade desse trio que veio para o Rio junto para emprestar seu talento com a peça A máquina.

Você não vai querer ficar sem esse ensaio...