segunda-feira, 27 de junho de 2005




Fim da manhã de Sábado. Um lugar próximo ao mar, um sol no céu e um encontro.
Bastaram uns poucos contatos e tudo confirmou-se. Diante de nós, Wagner Moura, com walkman, óculos escuros, voz serena, temperamento doce e um sorriso sincero.
Paciente, esperou.

Sentado em um dos bancos do lugar, nenhuma abordagem. O cenário de fundo, livros.
Coisa em torno de 1 hora, 1 e meia de conversa.

Agora sim, Wagner, com toda certeza sabe de tudo. Sabe do fã-clube, do blog, do grupo, das comunidades.

Foi passado coisas dos fãs, sobre os recadinhos e em meio a isso, uma representção simbólica.
Lhe foi entregue um presente em nome do Fã-clube e todas as suas afiliadas. Presente este que ele, agredecido, disse colocar na sala. De fato, ele gostou.

Comentários daqui, conversa dali, algumas perguntas curiosas. Não. Não foi uma entrevista mas uma conversa informal com o aniversariante do dia que mesmo sem acessar a internet, não é de seu hábito, não é costume, mal entende disso, ouviu atencioso sobre as coisas nela feitas para ele.
Ele trajava calça jeans e uma camiseta, ouvia música e andou calmamente até sua casa sem muito alarde.

Longe do glamour de um galã global, Wagner Moura é simples, acessível, tem um sotaque delicioso e uma timidez apaixonante. Todos os recadinhos forão entregues e em breve vocês verão aqui fotos desse dia.