sábado, 2 de outubro de 2004

Wagner Moura agora se considera um expert em estojos de maquiagem

Para Wagner Moura, um dos maiores aprendizados com o seriado "Sexo Frágil", da Rede Globo, foi o conhecimento do mundo feminino. O ator se caracterizava de mulher em todos os episódios e teve que passar por algumas "etapas" para viver as personagens femininas. Na entrevista para Marília Gabriela na noite deste domingo, no GNT, ele conta os benefícios do contato com este novo mundo.



"Agora eu posso conversar sobre rímel. Me sinto um marido melhor", diverte-se ele, que acha que o programa não deve ser encarado como uma crítica às mulheres. Pelo contrário. Para ele, o seriado foi uma tentativa de entender o sexo oposto.

Wagner jura de pés juntos que o assédio dele é diferente do assédio de um galã de novela.

"Eu pego metrô para ir ao teatro", revela.


Assim como o cotidiano, o casamento também continua como estava.

"Não houve nenhuma mudança ruim, minha mulher é tranqüila, generosa", diz ele.

Giulia Gam, que divide com ele o palco em "Dilúvio em tempos de seca", também conversa com a apresentadora, às 21h30m.

Fonte: GNT