sábado, 14 de agosto de 2004

Dilúvios em Tempos de Seca

Se no primeiro semestre de 2004 a nudez de Vera Fischer acabou sendo o grande chamariz da peça "A primeira noite de um homem", Giulia Gam > não quer repetir o mesmo efeito em "Dilúvio em tempo de seca".

Na nova montagem de Aderbal Freire Filho, a atriz será uma ex-modelo que > serve de musa inspiradora para o personagem de Wagner Moura escrever um livro. O diretor garante que ela não ficará nua na peça que se passa dentro de um banheiro.

"Aquele olha o corpo, o peito, a bunda dela' não deve roubar a atenção do público. Na primeira montagem deste texto, fizeram da relação dos dois uma alusão a Adão e Eva, o que não é o caso. Para mim, eles são algo como o último casal da Terra. Aqueles que após o dilúvio sobreviveram, mais para uma `Arca de Noé'. Tem que se pesar é se a nudez é ou não necessária dentro de um contexto", disse Giulia, de 37 anos, que ainda não sabia da decisão de Aderbal. A atriz nunca
ficou completamente pelada em cena. O máximo foi usar uma tanguinha na peça "Macunaíma" de Antunes Filho, em 1982. De lá pra cá, ela ficou famosa e sabe que essa mudança no roteiro faria diferença.

"Quando fazia parte de um grupo de teatro era completamente diferente, poque não era tão conhecida, mas e a nudez não poder ser mais importante do que o espetáculo", avalia ela.

O companheiro de cena Wagner Moura foi escolhido após as leituras dramatizadas do "Tudo é teatro", que a atriz promove semanalmente no Sesc Copacabana, e nas que realiza em sua casa.

"Eu tô super feliz porque o Wagner é um amor, um cara de teatro que apesar de ser 10 anos mais novo que eu, desde cedo na Bahia ele já estava nesse meio. Eu costumo brincar dizendo que ele é minha rede de segurança porque sei que eu posso me jogar que ele aguenta. Ai juntou três apaixonados por teatro", vibra ela.

O `grande encontro', aliás, os encontros vêm acontecendo quase que diariamente, há um mês, nos ensaios do espetáculo com estréia marcada para a primeira semana de setembro.

"Numa salinha dentro do Teatro Dulcina, no alto do `cucurucu', ficamos os três confinados, mais parecendo sobreviventes de um dilúvio no alto de uma montanha".

Fonte: Yahoo Groups