quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Teaser do filme ‘Bingo: O Rei das Manhãs’ com participações especiais

Nunca foi segredo que o papel do Palhaço Bingo, no filme de Daniel Rezende, foi feito para o Wagner Moura.  E o novo teaser do filme, que estreia ainda este mês, brinca com isso.



Nele, Vladimir Brichta (que será o palhaço Bingo) encontra Wagner se maquiando no camarim e dizendo que fará o filme, pois abriu uma brecha na sua agenda, já que o personagem da série que estava gravando – e que o fez recusar o papel do palhaço – morreu inexplicavelmente (ironia pura).
O diálogo dos dois no camarim é hilário e com direito ao Wagner propondo que eles dividam o papel, e que ele pode fazer um palhaço que fala espanhol.
Por fim, Wagner acaba concordando em abandonar o filme, e solta a frase mais engraçada do teaser: Mas vai ter um filme do ‘Patati Patatá’ e quem vai fazer essa porra, sou eu!
E veja o vídeo até o final, irá encontrar outro ator baiano querendo ser o palhaço do filme.
Assista o teaser completo aqui:

video



Fonte: Cinematologia (texto escrito por Paula Andréia que é colunista do site)

domingo, 6 de agosto de 2017

Wagner Moura e Lázaro Ramos visitam elenco do Vitória antes do jogo contra o Flamengo

Dupla de atores baianos foi ao hotel para bater um papo com os jogadores e com o técnico Vagner Mancini.

Não vai cair ninguém! Se depender da ilustre dupla de rubro-negros, Lázaro Ramos e Wagner Moura, o Vitória vai dar a volta por cima no Campeonato Brasileiro. Na manhã deste domingo (6), os atores baianos foram ao hotel em que a delegação do Leão estava hospedada e bateu um papo com os jogadores e com o técnico Vagner Mancini horas antes da partida contra o Flamengo, que acontece às 11h.
Lázaro e Wagner marcarão presença nas arquibancadas do estádio Luso-Brasileiro para ajudar a empurrar o rubro-negro, que precisa vencer o Flamengo para melhorar sua situação na tabela. Atualmente, o time é o 19º na tabela, com apenas 16 pontos somados





Fonte: Correio 24Horas

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Wagner Moura temeu dar 'desgosto' para o pai ao escolher a profissão de ator

No 'Conversa com Bial' desta terça-feira (11/7), o ator relembra teste na Globo e confessa que já recusou convites de Hollywood.

Aos 41 anos, com reconhecimento nacional e internacional, o ator Wagner Moura experimenta o posto de diretor de cinema, fala da nova experiência e assume, apesar de prezar a privacidade, não separar sua vida privada da pública. Ainda no bate-papo, do Conversa com Bial desta terça-feira (11/7), o artista diz ter feito jornalismo para 'acalmar' o coração do pai, que era militar. 


Interpretação de Pablo Escobar

“Viro outra coisa quando falo espanhol, para mim foi dificílimo, foi a coisa mais difícil que já fiz. Tinha cinco ou seis meses. Tentei adiantar o processo no Brasil. Fui para Colômbia sozinho e fiquei estudando lá. A língua espanhola me deu um sentimento de pertencimento a uma cultura. Falamos português e me senti pela primeira vez latino”

Preparação para o personagem

“Engordei 20 quilos, dos quais ainda não me livrei. Quando acabei, fiz uma superdieta, queria me livrar da barriga, mas queria tirar aquela energia. Eu fiz uma dieta vegana, sem carne e perdi uns 13 quilos ou 14. Já retomei uns 5 ou 6 (risos)"



Entrada na Globo

“Quando fui cadastrado na Globo, eu fui fazer o cadastro e a moça do cadastro saiu e o Lázaro (Ramos) mexeu na ficha para ver como a gente tava. Tinha 'tipos'... Tinha um X nas nossas caras, mas acho que era um elogio"

Medo da profissão

“Meu pai não era o perfil clássico de militar, ele saiu no pau de arara do nordeste e veio para o Rio lavar prato. Ele entrou nas Forças Armadas e entrou como sargento, mas foi sempre ligado à literatura. Ele sempre gostou muito de ler. Eu gosto muito de ler e meus filhos ainda não embalaram nisso, talvez por causa da tecnologia”


A escolha do jornalismo

“Quando resolvi ser ator eu não joguei no colo demais do meu pai porque ele se esfolou muito para eu estudar. Eu me sentia muito ‘vou dar um desgosto muito grande para esse homem’. Daí escolhi o jornalismo. Ele viveu para ver que o teatro e o trabalho de diretor me completavam, me faziam bem”

Wagner Moura luta contra o trabalho escravo no país

“O Brasil é um dos países que mais combate o trabalho escravo. Essa nossa definição é uma das mais modernas do mundo e está em cheque. Eu vou fazer de tudo para não deixar”



O sonho do cinema

“Eu queria trabalhar na Globo, mas queria mesmo fazer cinema. Queria ser um ator de cinema. Mas queria fazer uma novela também, queria que meu pai visse em Salvador, na Bahia”

Ficou estigmatizado por causa do personagem?

“É possível, é o personagem que as pessoas mais se referem. Isso é normal, é um personagem muito forte de fato e teve um tamanho muito grande, nunca vi como um problema. Sei que sou um ator que consigo fazer coisas diferentes. O meu critério hoje é o que aquilo vai acrescentar na minha vida”

Negação a Hollywood

“Eu nego um monte de coisa que me chamam para fazer, depois do Pablo então. O que eu quero fazer é trabalhar personagens latinos que não reforcem estereótipos”

Ficou estigmatizado por causa do personagem?

“É possível, é o personagem que as pessoas mais se referem. Isso é normal, é um personagem muito forte de fato e teve um tamanho muito grande, nunca vi como um problema. Sei que sou um ator que consigo fazer coisas diferentes. O meu critério hoje é o que aquilo vai acrescentar na minha vida”

Negação a Hollywood

“Eu nego um monte de coisa que me chamam para fazer, depois do Pablo então. O que eu quero fazer é trabalhar personagens latinos que não reforcem estereótipos”

Vida privada x pública

“O homem que sou e o artista são a mesma coisa, não vejo muita separação. Preso privacidade, mas sou artista”
E não esqueça: o Conversa com Bial vai ao ar de segunda a sexta, após o Jornal da Globo, e você pode rever tudo na íntegra no Globo Play. Acompanhe a atração também no Facebook e no Instagram

Fonte: GShow



terça-feira, 11 de julho de 2017

Conversa Com Bial - Wagner Moura

Wagner Moura promete fazer um 'superfilme' como diretor.



No Conversa com Bial desta terça-feira (11/7), o ator e agora também diretor Wagner Moura faz uma retrospectiva de sua carreira, relembra sua entrada na Globo, comenta o possível estigma deixado pelo famoso Capitão Nascimento e assume dispensar alguns convites de Hollywood.

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Mais uma nota de esclarecimento



O Blog Oficial Wagner Moura nasceu do sonho de uma fã (Carol Monteiro) em ajudar a divulgar o trabalho de um ator, até então desconhecido, que ela admirava o trabalho. Não havia nada sobre ele na imprensa. Ele era apenas alguém no elenco de alguma peça que na maioria das vezes nem era citado.
O blog então começou a publicar as notas dos trabalhos que ele fazia e dando os devidos créditos a fonte, reescrevia a nota dando destaque ao nome dele.
O tempo aproximou Wagner da equipe do blog e o que era coisa de fã para ajudar a divulgar um artista, virou uma história de carinho entre a equipe e o Wagner.
No tempo que ninguém sabia como usar blog, e também, não havia a febre de todo mudo querer 5 minutos de fama na internet, fomos pioneiras em buscar contato com a assessoria e juntos, nós, Wagner e as pessoas responsáveis por cuidar da carreira dele, pensarmos em como tornar o blog uma fonte segura e de credibilidade para as poucas pessoas que curtiam o trabalho dele. A ideia era um “boca a boca” virtual de um pequeno grupo que se conhecia por admirá-lo e buscava junto replicar informações. E assim ficou determinado que por uma questão ética, de credibilidade, respeito e carinho só seriam postadas no blog notícias oficiais que circulassem partir do Wagner e sua assessoria, não seria cedido espaço para repercutir fofocas, especulações e flagras de paparazzi.
Até hoje o espaço do blog destina-se ao Wagner pessoa pública. Não nos interessa expor o que Wagner não deseja. Desta forma, retribuímos o carinho e atenção que recebemos preservando tudo aquilo que ele prefere que seja privado. Nosso objetivo não é ter “likes”, seguidores, status ou fama. O blog é oficial por manter esses limites éticos e morais. Outro tipo de foco sobre o Wagner, vocês acham em qualquer lugar. Aqui é para quem sabe como ser fã respeitosamente.

*******************************************************



The “Oficial Wagner Moura blog” (deixamos assim para ficar mais fácil na busca) was born from a fan's dream to help publicize the work of a previously unknown actor that she admired. There was nothing about him in the press. He was just someone in the cast of some play that most of the time he was not even mentioned. Then, the blog began to publish the note of his works, giving credits to the source, rewriting the note and giving prominence to his name. Time approached Wagner to the blog team and what was a fan-thing to help an artist became a story of affection between the team and Wagner. In the time that no one knew how to use blog and there wasn't the fever of having 5 minutes of fame on the internet, we were pioneers in getting in touch with the press office and along with Wagner and the people responsible for taking care of his career, thinking about how to make the blog a safe and credible for the few people who enjoyed his work. The idea was a virtual word-of-mouth of a small group who knew each other from the same admiration and sought together to replicate information. And so it was determined that for an ethical, credible, respectful and affectionate question, only official news circulating from Wagner and his advisors would be posted on the blog, there would not be given space to gossip, speculation and paparazzi. To this day, the space of the blog is intended for Wagner public person. We are not interested in exposing what Wagner doesn't want. In that way, we return the affection and attention we receive preserving everything he prefers to be private. Our goal is not to have likes, followers, status or fame. The blog is official for maintaining these ethical and moral limits. Another type of focus on Wagner, you would find it anywhere. This one is for anyone who knows how to be a respectful fan.


Por: Paula Andréia
Equipe do Blog: Carol Monteiro, Paula Andréia e Gabi Marques
Nossas Redes Sociais:
Fanpage Facebook https://www.facebook.com/oficialwagnermoura/


terça-feira, 4 de julho de 2017

sábado, 1 de julho de 2017

Wagner Moura fala sobre infância pobre e 'escravidão' no interior da Bahia

'As pessoas não têm ideia de que a escravidão existe', disse o ator baiano em entrevista à Reuters.

O ator baiano Wagner Moura, 41 anos, contou histórias sobre sua infância pobre no interior da Bahia e sobre como o Brasil trata do tema do trabalho escravo, em entrevista à agência de notícias Reuters. Moura, que ficou famoso no Brasil por peças teatrais, novelas e filmes, agora é é embaixador da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e ganhou notoriedade mundial ao estrelar a série 'Narcos' (Netflix), interpretando o narcotraficante colombiano Pablo Escobar.
O baiano contou que viu a escravidão ao seu redor, mas como muitas pessoas, ele acreditava ser normal. "Eu cresci testemunhando muitas pessoas trabalhando em condições horríveis e não sendo pagas, trabalhando por comida ou um lugar para dormir. Eu cresci pensando que esse tipo de coisa era normal", disse à Reuters. 



O ator baiano Wagner Moura, 41 anos, contou histórias sobre sua infância pobre no interior da Bahia e sobre como o Brasil trata do tema do trabalho escravo, em entrevista à agência de notícias Reuters. Moura, que ficou famoso no Brasil por peças teatrais, novelas e filmes, agora é é embaixador da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e ganhou notoriedade mundial ao estrelar a série 'Narcos' (Netflix), interpretando o narcotraficante colombiano Pablo Escobar.
O baiano contou que viu a escravidão ao seu redor, mas como muitas pessoas, ele acreditava ser normal. "Eu cresci testemunhando muitas pessoas trabalhando em condições horríveis e não sendo pagas, trabalhando por comida ou um lugar para dormir. Eu cresci pensando que esse tipo de coisa era normal", disse à Reuters.